Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2007 > 08 > A pop-art de Romero Britto

A pop-art de Romero Britto

Ações do documento

Quadros, louças, relógios, bolsas, perfumes e inúmeros objetos com a assinatura do artista plástico Romero Britto ficam expostas na Área de integração Cultural do Tribunal Regional do Trabalho, em João Pessoa, até hoje, sexta-feira, 24. A exposição Vibrações chega a João Pessoa depois de Recife e Natal, trazida pelo consultor de arte Edvaldo Galdino. O artista pernambucano Romero Britto mora em Miami, de onde difunde sua peças para os Estados Unidos e Europa. “Ele virou uma marca”, afirma o consultor.

Famoso por vender suas peças para celebridades como Madona, Michael Jackson e Arnauld Schwazenegger, Romero Britto tem suas obras expostas em grandes museus e galerias. As peças que estão sendo exibidas no TRT custam de R$70 a R$9 mil. Este último, um quadro na técnica acrílico sobre papel. Entre os nomes que possuem coleções particulares da obra de Romero Britto estão Ivo Pitanguy, Georgio Armani, Oprah Winfrey e Paulo Coelho.

Muito bem sucedido no exterior , possui galeria própria em Miami, onde mora, e obras espalhadas em galerias de quase todo o mundo. Seu estilo tornou-se conhecido. Mistura influências cubistas, outros identificam um caráter fauvista no uso das cores luminosas. É uma arte pictórica singular, nem sempre adorada por todos mas que combina muito bem com a vida moderna e o mundo do consumismo e da publicidade.

Romero Britto é um artista da pop arte. Além das pinturas, serigrafias e objetos com suas figuras coloridas ele realizou projetos como uma série de selos para as Nações Unidas e comemoração dos 450 anos da cidade de São Paulo. Nos Estados Unidos recebeu o título de embaixador honorário.

Criou peças publicitárias para Pepsi-Cola, Disney, IBM e Apple. Sua obra vem sendo usada em embalagens, na moda e até em carros. O estilista Amir Slama, lançou uma coleção a partir de dois desenhos de Britto. Vendeu tão rapidamente as 8 mil peças que resolveu repetir a dose.No Exterior outros estilistas, como a americana Nicole Miller e os italianos Enrico Coveri e Gai Mattiolo, criaram roupas e acessórios baseados nos coloridos desenhos do brasileiro.

A Grendene escolheu o artista para desenvolver uma linha de sandálias. O artista nasceu no Recife, em 1963. Foi uma criança pobre. Freqüentou escolas públicas, enfrentou dificuldades financeiras e recebeu bolsa de estudos para uma escola preparatória quando aos 17 anos entrou para a universidade. Talvez por isso ele retrate um mundo onde a alegria das cores, a felicidade e sobretudo obras de arte que podem ser admiradas por qualquer pessoa.