Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2007 > 08 > Aberta exposição que marca 35 anos do Fórum Maximiano Figueiredo

Aberta exposição que marca 35 anos do Fórum Maximiano Figueiredo

Ações do documento



O Tribunal Regional do Trabalho está comemorando o aniversário de 35 anos de criação do Fórum Maximiano Figueiredo. A solenidade de abertura do evento aconteceu hoje (segunda-feira), às 14h, no 'hall' do Fórum com a presença da presidente do TRT juíza Ana Clara Nóbrega, juiz Paulo Henrique Tavares, diretor do Fórum, juiz André Machado, presidente da Amatra 13 – Associação dos Magistrados do Trabalho, juiz Wolney Cordeiro, diretor-geral do TRT, Carlos Melo, além do presidente da OAB José Mário Porto, entre outras autoridades e servidores.



O chefe do Núcleo de Processo da Qualidade, Gilvan Azevedo de Carvalho ressaltou a importância do constante aperfeiçoamento dos servidores através de cursos. Foram exibidas fotografias e entregue a certificação ISO 9001 do Setor de Distribuição do Fórum a servidora Roberta Costa, diretora do setor.

O diretor do Fórum Maximiano Figueiredo, juiz Paulo Henrique Tavares disse que a solenidade, simples e eficiente, refletia a história do Fórum: “É muito importante lembrar essa data.”



A presidente do TRT juíza Ana Clara Nóbrega fez questão de dar seu testemunho como uma das presentes na inauguração do Fórum, em 1972. Ela falou sobre as dificuldades da época e ressaltou a importância do homem que deu nome ao Fórum. O paraibano Maximiano Figueiredo foi jurista e deputado federal, sendo o autor do primeiro Código do Trabalho do Brasil.

A História do Fórum está sendo contada através de uma exposição aberta ao público no 'hall', formada por quatro 'banners' com textos e trinta e seis fotografias, em sua maioria, parte do acervo do Memorial do TRT, que mostra o início e a evolução do Fórum e parte da Justiça do Trabalho no Estado.

Exposição paralela

Também foi aberta na Área de Integração Cultural e em comemoração aos 35 anos da criação do Fórum, a “Exposição de Artes Plásticas e Trabalhos Manuais”, da artista Maria de Lourdes de Melo Meira. “A arte continua sendo um dos principais canais de integração entre a instituição e a sociedade, daí o nosso total apoio aos trabalhos culturais desenvolvidos pelo Tribunal”, ressaltou a presidente do Tribunal, juíza Ana Clara Nóbrega.

Segundo Maria de Lourdes de Melo Meira, “na minha exposição as pessoas vão encontrar além das artes plásticas, diversos objetos para decoração em vidro e também artigos exclusivos para cama, mesa e banho”. As duas exposições ficam na Área de Integração Cultural do Fórum até o próximo dia 17.