Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2007 > 10 > Semajud discute ética e cooperativas e acesso à Justiça no 2º dia de debates

Semajud discute ética e cooperativas e acesso à Justiça no 2º dia de debates

Ações do documento

A programação da VII Semana do Judiciário, que está acontecendo no Cine Bangüê do Espaço Cultural, teve continuidade ontem. Foram apresentados trabalhos científicos de alunos de Direito de diversas instituições do Estado.







Depois do intervalo o professor universitário e filósofo Emerson Aguiar fez a primeira conferência da manhã com o título Ética e Justiça. O palestrante foi apresentado pelo servidor do Tribunal Regional do Trabalho, Vicente Gayoso.

Em seguida o tema discutido foi Cooperativas: Conflitos e Soluções, em um painel apresentado pelo procurador aposentado de Pernambuco, Everaldo Gaspar e pelos juízes do Trabalho da Paraíba Wolney de Macedo Cordeiro e Paulo Henrique Tavares.

Acesso à Justiça

À tarde, o juiz titular do Trabalho Paulo Américo Maia de Vasconcelos Filho foi um dos destaques da Semana do Judiciário, onde fez conferência sobre Acesso à Justiça. Foi apresentado pelo juiz Rômulo Tinôco.

O juiz Paulo Maia é professor da Faculdade de Direito da UFPB e mestrando em Direito Processual pela UFRJ. Ele iniciou a conferência fazendo uma retrospectiva da história do Direito e sua evolução. Citou a famosa teoria Cinco Minutos da Filosofia do Direito, de Gustav Radbruch, que se opõe ao tecnicismo jurídico. “A Justiça tem como novo papel ser tutelar dos Direitos Humanos. Devemos ter a lei como referência, conformá-la com a Constituição e com os Direitos Humanos. Esta é a jurisdição contemporânea” afirmou o conferencista.

A programação da tarde foi aberta com a apresentação dos trabalhos científicos de alunos das Faculdades de Direito. No final da tarde a programação da VII Semajud apresentou o painel: A Construção dos Direitos Humanos, com a participação do doutor em Filosofia pela Universidade Gama Filho, Narbal de Marsillac e de Michelle Agnoleti, professora de Direito da UFPB e Ana Paula Correia de Albuquerque Costa, professora de Direito da FIP e UEPB.