Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2007 > 11 > Projeto inédito leva alunos para audiências no Fórum

Projeto inédito leva alunos para audiências no Fórum

Ações do documento



Sessenta alunos do curso de Direito participaram de um projeto inédito da Justiça do Trabalho paraibana. Cursando o sétimo período no Unipê – Centro Universitário de João pessoa, os estudantes assistiram e participaram de audiências realizadas pela 2ª Vara do Trabalho de João Pessoa. Ou seja, já tiveram uma experiência profissional que normalmente só têm depois da conclusão do curso.

A idéia de transformar uma audiência em sala de aula é do juiz titular da 2ª VT e diretor do Fórum Maximiano Figueiredo, Paulo Henrique Tavares da Silva. Nesta primeira edição do projeto o juiz Paulo Henrique teve o auxílio das juízas substitutas, Taís Priscilla e Andréa Longombardi.

Segundo o Magistrado, o Projeto figura como uma atividade técnico-científica da Área de Integração Cultural do Fórum, que completa neste mês de novembro um ano de existência. “Esta é uma oportunidade que o Tribunal está oferecendo aos estudantes de Direito que já pagaram as disciplinas de Direito do Trabalho, Prática Forense e Processo do Trabalho”.

Para o magistrado, o Projeto integraliza a teoria de prática jurídica com o contato direto com o desenrolar do processo. “Se torna fundamental para os alunos, porque além da teoria eles agora estão vendo na prática como funciona uma audiência de forma correta. E o importante é que neste projeto tivemos todo o apoio da presidente do TRT, a juíza Ana Clara Nóbrega”, disse.

Os estudantes estivavam acompanhados por Jocélio Jairo Vieira, professor da disciplina Prática Jurídica I. Segundo o professor, os alunos têm no Unipê o escritório de Prática Jurídica, onde está instalado o 4º Juizado Especial Cível. “Na Aula Audiência esses estudantes estão vendo todas as partes de um processo, ouvindo o depoimento das partes, testemunhas e a sentença. É um verdadeiro laboratório”, disse o professor.

No intervalo das audiências, o juiz Paulo Henrique mostrou aos estudantes os sites do TRT e do TST (Tribunal Superior do Trabalho) e os programas implantados com todas as ferramentas disponíveis que proporcionam aos advogados e partes acompanhar o andamento dos processos.

 

Idéia era sonho antigo de Magistrado

“A idéia desse projeto era um sonho antigo. Fui advogado por pouco tempo e a primeira audiência que tive oportunidade de assistir foi trabalhista com um juiz tentando fazer uma conciliação. Fiquei encantado”, revelou o juiz Paulo Henrique. Os estudantes tiveram oportunidade de assistir a três audiências.

O chefe do Núcleo do Processo da Qualidade do Tribunal Regional do Trabalho, Gilvan Azevedo fez uma explanação da busca que a Justiça do Trabalho vem fazendo para, além de julgar, partilhar experiências com a sociedade. É uma experiência que vem desde de 1992 e tem colocado o TRT na vanguarda em atividades culturais e jurídicas.

Na visão dos alunos, o projeto Aula Audiência foi aprovado. Para a estudante Natasha Gonçalves de Menezes, a aula foi muito importante. “Recomendo a todas as universidades da Paraíba”, disse. Elogiou o site do TRT (www.trt13.gov.br), que foi mostrado aos alunos. Para ela, as programas disponíveis tornam o processo mais célere e mostra que o papel pode ser substituído.

Já a aluna Nelyana Vieira Fernandes revelou que viu na prática o que aprendeu na sala de aula. “Foi uma ótima oportunidade para perder o medo de enfrentar uma audiência e ir se acostumando ao que se vai enfrentar no futuro”, observou. A estudante disse ainda que a falta de oportunidade de estágios pode ser substituída pela idéia da Aula Audiência.

A estudante Marília Gil Messias de Melo revelou que ficou muito feliz em poder ver na prática o que se aprende na teoria do Direito. “Isso facilita o estudo porque cada ato da audiência foi devidamente explicado ao alunado pelo juiz no papel de professor”, observou.