Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2008 > 05 > Conciliar: valores apontam mais de R$ 10 milhões negociados

Conciliar: valores apontam mais de R$ 10 milhões negociados

Em toda a Paraíba o maior volume de recursos negociados foi na VT de Taperoá: 1,7 milhão

Ações do documento

A Secretaria da Corregedoria do Tribunal Regional do Trabalho acabou de divulgar o primeiro balanço oficial dos valores conciliados na edição do Projeto Conciliar deste ano. Foram mais de R$ 10 milhões. Ontem, durante todo o dia a Justiça do Trabalho da Paraíba funcionou voltada exclusivamente para a realização de audiências de conciliação de processos. Foi o dia "D" do Projeto Conciliar que está em sua quarta edição e busca o entendimento em qualquer fase do processo para pagamento de dívidas trabalhistas.

Nas nove Varas do Trabalho de João Pessoa e nas cinco de Campina Grande foram conciliados apenas processos de empresas privadas. Nas demais Varas do estado, os valores negociados incluíram pagamentos de dívidas com empresas e precatórios trabalhistas de municípios.

Em toda a Paraíba o maior volume de recursos negociados foi na Vara do Trabalho de Taperoá, que tem como juiz titular Antônio Eudes Vieira Júnior, com mais de 1,7 milhões. Em segundo lugar ficou a VT de Guarabira de R$ 1.117.300,00, que tem como juiz titular Antônio Cavalcanti Costa Neto. Depois ficou a VT de Picuí, com 1.110.581,00 e que tem como titular o juiz João Agra Tavares de Sales.

Em João Pessoa, a 6ª Vara do Trabalho negociou mais de R$ 800 mil e em Campina Grande a 2ª VT mais de R$ 360 mil. Os juízes titulares dessas unidades são Rita Leite Rolim e Normando Salomão Leitão. Na sede do TRT, o Juízo Auxiliar de Conciliação de Precatórios negociou dívidas no valor de mais de R$ 800 mil.

"Foi um projeto que reforçou a busca pela paz social", disse a presidente do TRT, juíza Ana Clara Nóbrega. Ela abriu o "Dia D" em João Pessoa e no final da manhã acompanhou a edição de Campina Grande.

O presidente do TRT de Goiás, juiz Elvécio Moura dos Santos, acompanhou a realização do projeto. "Estou aqui buscar essa experiência da Paraíba que deu certo e serviu de modelo o país", disse, afirmando que vai adotar a seqüência do Conciliar que é o Projeto Arrematar, o mega-leilão para venda de bens e o conseqüente pagamento de dívidas trabalhistas. O juiz Elvécio Moura se mostrou entusiasmado com a forma que o Projeto foi conduzido e revelou: "A Paraíba está muito à frente na cultura da conciliação. Estou impressionado com a facilidade e a disposição das partes de fazerem acordo", revelou.

Seap

Para o diretor do Serviço de Acompanhamento de Precatórios do TRT, Fred Pedrosa, os valores em precatórios negociados superaram as expectativas. "Os números nos surpreenderam. Basta examinar as conciliações em Taperoá, Guarabira e Picuí, que somam cerca de R$ 4 milhões basicamente de precatórios trabalhistas", comemorou.

No geral, os valores conciliados na edição deste ano do Projeto Conciliar só não foram maiores porque o INSS não mandou representantes em mais de mil audiências.