Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2008 > 08 > Adesão dos servidores ao Programa de Responsabilidade Sócio Ambiental é de 80%

Adesão dos servidores ao Programa de Responsabilidade Sócio Ambiental é de 80%

Recolhimento do material reciclável está sendo feito duas vezes por semana

Ações do documento

Já chega a 80% a adesão dos servidores do Tribunal Regional do Trabalho ao Programa de Responsabilidade Sócio Ambiental, instituído através de Ato e implantado em abril pela presidente do Regional, juíza Ana Clara Nóbrega. A coleta do lixo reciclável, que era feita pelo pessoal da Associação dos Trabalhadores em Materiais Recicláveis apenas uma vez por semana, passou a ser feita duas vezes por semana.

De acordo com o diretor de Serviços Gerais do TRT, Baltazar Pequeno, O lixo produzido é separado em coletores apropriados nos setores e gabinetes dos Juízes. "Isso facilita o trabalho do pessoal da limpeza no acondicionamento nos grandes contentores que estão instalados na área externa do Tribunal", disse.

O aumento do volume do material reciclável é resultado da adesão dos servidores ao Programa, lembrou Baltazar Pequeno, observando que, durante a instalação dos coletores individuais nos setores administrativos, gabinetes dos Juízes e prédios externos, foi dada orientação para a separação correta do lixo. "Os servidores entenderam a mensagem e estão cada vez mais aderindo ao Programa", disse.





Aumento da renda

A Astramares – Associação dos Trabalhadores em Materiais Recicláveis é responsável pela coleta dos resíduos no Tribunal. Trata-se de uma cooperativa conveniada pela Empresa de Limpeza Urbana de João Pessoa – Emlur e que, com o aumento do volume de material reciclável que está sendo recolhido, aumenta também a renda da comunidade carente formada pelos cooperados da Astramares.

"Para o aterro sanitário da cidade está sendo encaminhado apenas o material orgânico", disse Baltazar Pequeno. O Programa de Responsabilidade Social do TRT lançado pela presidente do TRT, Juíza Ana Clara Nóbrega, contou com a participação de representantes da Emlur. Durante o lançamento, a juíza-presidente instituiu o Ato que normatizou o trabalho de responsabilidade social da instituição e criou a Comissão de Gestão Ambiental.

Depois de formada, a Comissão de Gestão Ambiental deu seu primeiro passo, passando por treinamento e elaborando o Plano de Gestão. A primeira proposta apresentada foi a distribuição de coletores individuais para separação do lixo em todos os setores administrativos e gabinetes dos Juízes. Segundo o presidente da Comissão, Vicente Rocha, para manter a adesão dos servidores está sendo realizada uma retroalimentação com a colocação de cartazes educativos, envio de e-mails e notas esclarecedoras na Intranet.