Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2008 > 09 > Na Justiça do Trabalho: ordem é domar o estresse. Método ensina como não ceder a esse mal

Na Justiça do Trabalho: ordem é domar o estresse. Método ensina como não ceder a esse mal

É possível desenvolver a capacidade de transformar a raiva, o medo e a depressão em energia positiva

Ações do documento

O ser humano do século XXI faz cada vez mais coisas. Nenhum tempo é suficiente para dar conta de tantas atribuições. Segundo pesquisas apresentadas pela psicóloga Susan Andrews, especialista em estresse, 95% dos líderes das empresas não estão vendo os filhos crescerem. Diz ainda que 85% não tiram férias regulares. Apenas 10% afirmam serem bem casados. É a era da informação, que dobra a cada 72 dias.

São fatos demais, e-mails demais, canais de tv demais. O ser humano está mais irritado do que nunca. 90% das consultas médicas são relacionadas ao estresse, que, segunda ela, se manifesta em doenças como câncer, hipertensão, úlcera, entre outras.

"Cada emoção que surge em nossas mentes causa uma cascata bioquímica em nosso organismo", afirma a autora do livro Stress a seu favor. Susan Andrews é doutora em Psicologia Transpessoal e conferencista em mais de 40 países. "O estresse é uma reação biológica em todos os animais desenvolvida para salvar vidas numa situação de emergência. O cérebro é ativado, as glândulas supra-renais e a adrenalina é secretada no sangue. O coração bate mais rápido, o pulmão requer mais oxigênio, seu fígado usará o glicogênio que está armazenado para dar energia. Se o estresse persiste então as glândulas supra – renais secretarão outro hormônio, o cortisol que em excesso e durante longo prazo, inibe o funcionamento do sistema imunológico do corpo", explica a especialista.

O que fazer? Como as empresas e instituições estão cuidando de seus funcionários. Na Paraíba, a equipe de Fisioterapia do Tribunal Regional do Trabalho está ministrando um curso denominado Manejo do Estresse. A fisioterapeuta Germana Lucena fez recentemente o curso de capacitação sobre Manejo do Estresse com a especialista Susan Andrews, em São Paulo, e está promovendo um curso para os servidores do TRT, dentro das atividades do Programa RH Cuidando de Você.



Tragédia

"Nem todos tem a mesma reação às tensões do dia-a-dia, mas muitos fazem disso uma grande tragédia. Esse estresse interfere na saúde" afirma a fisioterapeuta. O curso Manejo do Estresse está sendo realizado uma vez por semana, com duração de duas horas. Estão sendo abordados, de forma teórico-vivencial, temas ligados ao estresse, em especial os seus efeitos danosos à saúde, sua fisiologia, os efeitos nocivos do hormônio cortisol, a influência das emoções na nossa saúde e as características de uma personalidade resistente ao estresse. "Ensinamos no curso que não é a sobrecarga de trabalho ou estresse que nos torna doentes, mas a nossa resposta a esta sobrecarga. Ensinamos maneiras de como ativar as respostas de relaxamento nas situações tensas".

O curso mostra que é impossível evitar o estresse mas tomar novas atitudes e gerenciar o seu próprio estresse de modo a usá-lo a seu favor. "É importante desenvolvermos a capacidade de transformar a raiva, o medo e a depressão em energia positiva, encontrando assim o centro da estabilidade e da tranqüilidade em nós mesmos", afirma Germana. As aulas do curso de Manejo do Estresse contém exercícios onde os participantes experimentam práticas respiratórias, oficinas de alongamento muscular, exercícios de biopsicologia e técnicas de relaxamento.

Alto nível de estresse

O servidor da 1ª Vara do Trabalho Alexandre Oliveira Falcão trabalha numa das funções mais estressantes da instituição. Ele é digitador de audiência. "Às vezes fico seis horas seguidas nas audiências e a concentração nas palavras do juiz é muito grande". No questionário aplicado no curso o resultado dele foi de alto nível de estresse. "Aprendemos os efeitos negativos do estresse no cérebro e junto com os exercícios estou menos agitado".

A servidora do TRT Hilma Guimarães Sobral está freqüentando o curso. "Agora sei que meu perfil é de estressada depois que respondi ao questionário do curso". O questionário é aplicado para definir o perfil e ajudar no auto-conhecimento. Questões do tipo ficar numa fila mais de 15 minutos faz você sentir ansiedade? Ou se irrita quando recebe uma crítica - são temas abordados. Os sintomas do estresses como tensão muscular, acidez estomacal, taquicardia, ranger dos dentes, perda ou excesso de apetite também estão na lista. Depois de responder as perguntas o próprio aluno avalia o seu resultado.

A fisioterapeuta Germana Lucena ressalta que os exercícios do curso são práticas da ioga, relaxamento e alongamento com o objetivo de ativar o sistema nervoso parasimpático. Devem ser feitos todos os dias. "O estresse ativa o sistema nervoso simpático e os exercícios revertem isso. Com a prática dos exercícios e o conhecimento que o curso dá alguns médicos até retiram medicação de quem precisava".