Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2009 > 09 > Deficiente auditivos: audiência tem participação de intérpretes

Deficiente auditivos: audiência tem participação de intérpretes

Reclamente com deficiência auditiva foi acompanhado e recebeu suporte de um servidor do Regional intérprete de Libr

Ações do documento



                O Tribunal Regional do Trabalho realizou semana passada uma audiência com um reclamente portador de necessidades especiais. A audiência contou com a participação  do servidor do Regional, Petrônio de Sá Leitão, lotado na 8ª Vara do Trabalho, especializado em Libras (Linguagem Brasileira de Sinais) e foi presidida pelo juiz Arnóbio Teixeira de Lima, na 1ª Vara do Trabalho de João Pessoa.                

                O trabalhador, que possui deficiência auditiva, entrou com processo na 1ª Vara contra a empresa Taler Service - Recursos Humanos e Serviços Ltda, que presta serviço a Universidade Federal da Paraíba – UFPB, onde trabalhava. A ação foi julgada a revelia, já que a reclamada não enviou representante a audiência. O advogado do reclamante, Boanerges Felix da Silva requereu a liberação do FGTS e o bloqueio de R$ 7.800,00, objetivando futura execução.

                O juiz Arnóbio Teixeira de Lima destacou a atuação do servidor Petrônio de Sá Leitão: “Com o uso da linguagem de sinais os trabalhos são facilitados e o entendimento é perfeito”, destacou o magistrado.

                O reclamante manifestou sua opinião, através do servidor Petrônio Leitão, sobre a idéia do TRT oferecer tradutores de libras durante as audiências com portadores de deficiência auditiva . “Com uma pessoa traduzindo tudo para a gente, tudo fica mais fácil nas audiências. Agora a gente deixa o gabinete do juiz sabendo tudo que aconteceu. Antes era apenas o nosso advogado que nos transmitia as informações. O TRT está de parabéns por tão importante contribuição”, disse.

                Para o servidor Petrônio Leitão valeu a pena participar do Curso de Libras oferecido pelo TRT. “São cursos assim, oferecidos pelo TRT, que cada vez mais estão capacitando nós servidores e os resultados estão aí. Até então o diálogo entre o reclamante com deficiência auditiva e os magistrados era complicado, ou seja, só o advogado falava. Hoje, como vocês viram, o juiz Arnóbio Teixeira fez perguntas a Mário e, graças a nossa intervenção, ele respondeu tudo. E o mais importante é que ele tomou conhecimento de toda a conversa da audiência”, completou Petrônio.

                Capacitação

                Com o objetivo de capacitar servidores, o Tribunal Regional do Trabalho vem realizando uma série de eventos, como cursos e palestras. Em 2007, realizou o Curso de Libras – Linguagem Brasileira de Sinais, voltado para servidores que desempenham atividades voltadas ao atendimento, a partir da compreensão da interpretação da Língua Brasileira de Sinais.

A linguagem (Libras) permite a comunicação com pessoas que possuem deficiência auditiva, que compreendem e se interagem com o mundo através de experiências visuais. O TRT da Paraíba foi o pioneiro neste treinamento, motivando consulta de vários Regionais brasileiros.