Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2010 > 09 > Desembargador Edvaldo de Andrade será condecorado em Belo Horizonte

Desembargador Edvaldo de Andrade será condecorado em Belo Horizonte

Ações do documento

O Conselho da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho do TRT de Minas Gerais aprovou, por unanimidade, a indicação do nome do presidente do Regional paraibano, desembargador Edvaldo de Andrade para ser agraciado com a Ordem no grau Grã-Cruz. A proposição foi formulada pelo desembargador Paulo Roberto de Castro.

A solenidade de condecoração será realizada às 17h desta sexta, dia 17, no Imperador Recepções e Eventos, que fica no bairro Gutierrez, em Belo Horizonte. O documento confirmando a indicação foi enviado ao Tribunal pelo desembargador Eduardo Augusto Lobato, presidente do TRT da 3ª Região e Grão-Conselheiro da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho Desembargador Ari Rocha.


Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho Desembargador Ari Rocha


Instituída pela Resolução 050/2000, do Tribunal Pleno do TRT da 3ª Região, em 17de fevereiro de 2000, a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho Desembargador Ari Rocha foi criada para distinguir e perpetuar a memória e o labor de pessoas e entidades em prol da paz social e do engrandecimento da Instituição Judiciária do Trabalho em todos os níveis de atuação.


Confira quem vai receber a insígnia no grau Grã-Cruz:

- Edvaldo de Andrade

Desembargador Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região


- Antonio Augusto Junho Anastasia

Governador do Estado de Minas Gerais


- Antônio Cezar Peluso

Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal


- Cláudio Renato dos Santos Costa

Desembargador Presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais


- Guilherme Augusto Caputo Bastos

Ministro do Tribunal Superior do Trabalho


- José Alencar Gomes da Silva

Vice-Presidente da República


- José Artur Filardi Leite

Ministro das Comunicações


- Nelson Thomaz Braga

Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região e Conselheiro do Conselho Nacional de Justiça