Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2010 > 09 > Servidores são treinados para preservar os processos em papel e eletrônicos

Servidores são treinados para preservar os processos em papel e eletrônicos

Ações do documento



Servidores do Fórum Irenêo Joffily, de Campina Grande e de algumas Varas do interior participaram do Curso de Aperfeiçoamento na Preservação de Autos Findos e Processos Eletrônicos. O treinamento foi ministrado pelo servidor Raimundo Normando Madeiro, secretário da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos do TRT, na sala de informática do Fórum de Campina.

O curso foi uma iniciativa da Secretaria de Gestão de Pessoas, com recomendação da juíza Rosivânia Gomes Cunha, que preside a Comissão Permanente de Avaliação de Documentos. "Existe a necessidade dos servidores de adquirirem conhecimentos dos procedimentos de avaliação de autos", disse a magistrada.


A ideia principal foi treinar os servidores ligados a área de arquivo e Varas para identificar os processos de valor relevante. “Os servidores que manuseiam os processos e conferem andamentos dos atos processuais, estão envolvidos, institucional e individualmente, em uma tarefa de medição na comunidade, de construção de cidadania, de defesa da história do seu povo e da Justiça, contada nos processos judiciais”, revelou Normando Madeiro.


Segundo ele, o objetivo principal do curso foi ensinar a cuidar da massa documental do Tribunal, da preservação e eliminação. “A questão documental é uma preocupação da atual gestão e por isso criou, por meio do Provimento 10/2002 a uma Comissão Permanente de Avaliação de Documentos”, disse Raimundo Normando Madeiro.


A Justiça do Trabalho vem promovendo um trabalho de conscientização da preservação desses documentos e a medida tem contribuído para a difusão da cultura de preservação da memória da Justiça no país, partindo da conscientização da comunidade jurídica sobre a importância dos processos judiciais, considerando que estes  informam um contexto jurídico, cultural, social e político.


A Comissão permanente de Avaliação de documentos, juntamente com o NAG e o Memorial, setores ligado ao SDA, participam de encontros em defesa da memória da Justiça do Trabalho com relação a gestão documental, onde são abordados temas ligados a análise e avaliação da massa documental, gerencia de arquivo, preservação e eliminação de documentos.


Todo esse trabalho visa tornar acessível o uso da à pesquisa, a todos aqueles interessados pela área trabalhista e pela história da Justiça do Trabalho na Paraíba, considerando o contexto sócio, econômico e cultural. Normando Madeiro disse que a organização do arquivo melhora a eficiência administrativa, a conservação dos  documentos de guarda permanente e agiliza a  recuperação da informação, resgatando e preservando a memória da Justiça do trabalho. O curso também foi ministrado para os servidores das vars do Trabalho de João Pessoa.