Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2011 > 04 > Projeto Arrematar começa nesta terça (12) em Campina Grande

Projeto Arrematar começa nesta terça (12) em Campina Grande

Ações do documento

publicado: 11/04/2011 15h26 última modificação: 30/09/2016 10h15
 

            O TRT da Paraíba através do Projeto Arrematar fez parceria com a Justiça Federal e fará leilão conjunto nesta terça-feira, 12, em Campina Grande, quarta-feira, 13 em Picui, Areia, Sousa, Cajazeiras, Guarabira, Patos, Catolé do Rocha e Itabaiana e quinta-feira, dia 14 em João Pessoa e Santa Rita.

            Segundo a juíza Ana Paula Cabral, supervisora da Central de Mandados do Fórum Maximiano Figueiredo a parceria com a Justiça Federal vai melhorar as condições oferecidas para os interessados em arrematar os bens ofertados. “Vamos aproveitar o espaço da Justiça Federal e o leilão será no auditório de lá, com o acréscimo da tecnologia da tele-conferência”. O leilão continua sendo presencial, pela internet, para aqueles que se cadastrarem antecipadamente, e a novidade é a teleconferência. A oferta de bens também será acrescida, já que irá reunir os bens de processos da Justiça Trabalhista e da Justiça Federal. A juiza Ana Paula Cabral ressalta que todos os acordos e pagamentos, antes e durante o leilão continuarão sendo realizados na Central de Mandados que terá uma equipe de plantão.

            Um impresso tipo jornal está sendo distribuído com os interessados na Central de Mandados do Fórum Trabalhista de João Pessoa. Nele estão alguns dos bens móveis e imóveis mais atraentes, com foto, valor mínimo e descrição dos bens. O edital com a listagem do que será ofertado nos leilões do Projeto Arrematar, tanto da Capital, quanto das cidades do interior, também pode ser visto no endereço eletrônico: www.projetoarrematar.com.br.

            Para se cadastrar antecipadamente e participar do leilão via internet é preciso preencher todas as informações solicitadas no formulário de cadastro, tomando conhecimento dos termos do regulamento e do edital do leilão. E entregar, na Central de Mandados, ou aos cuidados do leiloeiro, as cópias dos documentos necessários ao cadastramento. Os interessados em oferecer lances presencialmente devem comparecer antes do início do leilão para fazer o cadastramento no auditório da Justiça Federal Juiz Ridalvo Costa, na rua João Teixeira de Carvalho, 480, Conjunto Pedro Gondim, em João Pessoa, munidos de documentos pessoais.

            Bens - O Esporte Clube Cabo Branco, no bairro do Miramar, está novamente no edital de bens que serão oferecidos para arrematação no próximo leilão do Projeto Arrematar do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba. O imóvel foi avaliado em R$ 25 milhões e será ofertado no leilão, caso não haja acordo até lá, pelo lance mínimo de R$10 milhões. Localizado numa área extremamente valorizada pelo emrcado imobiliário, o Clube Cabo Branco já esteve outras vezes na lista de bens do leilão e foi retirado através de acordo entre as partes.

            A juíza supervisora da Central de Mandados, Ana Paula Cabral ressalta que mesmo constando no edital de arrematações, todos os bens podem ser retirados do leilão caso haja acordo antes da realização da hasta pública. “Nossa finalidade não é vender o bem, e sim resolver o processo. A venda é o último recurso, mas para retirar o bem do leilão deve ser feita uma proposta real de acordo financeiro entre as partes”. Inúmeros bens entre apartamentos, casas, prédios, terrenos, veículos e equipamentos dos mais diversos, estão sendo oferecidos no edital.

            Apartamentos para moradia também são opções para quem quer aproveitar a ocasião e pagar preços mais baixos. Está sendo oferecido um apartamento no bairro do Bessa, em João Pessoa, com 137 metros quadrados, contendo varanda, sala de estar, sala de jantar, três quartos, sendo um suíte, cozinha, área de serviço, vaga na garagem, avaliado em R$ 180 mil com lance mínimo de R$ 72 mil, o prédio onde funciona a concessionária Capital, na avenida Rui Carneiro, em Tambaú, local de grande valorização imobiliária, com área de 5.801 metros quadrados com pavimento térreo e superior contendo benfeitorias, avaliado por 7 milhões e 700 mil, prédio onde funciona atualmente o Colégio João Paulo II, na rua General Osório, no centro de João Pessoa, contendo área total de 869.85 metros quadrados, avaliado em R$ 1 milhão seiscentos e cinquenta mil, com lance mínimo inicial de R$ 660 mil.