Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2011 > 05 > Juiz é escolhido como integrante do Comitê de Tecnologia da Informação

Juiz é escolhido como integrante do Comitê de Tecnologia da Informação

Ações do documento



O Juiz do Trabalho Lindinaldo Marinho participou da primeira reunião do ano do Comitê Gestor de Tecnologia da Informação e das Comunicações no Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, no último dia 3. Ele foi designado para integrar o Comitê juntamente com o desembargador Cláudio Mascarenhas, do TRT da Bahia, juiz Alexandre de Azevedo Silva, do TRT do Distrito Federal e com Humberto Magalhães Ayres, secretário de Tecnologia da Informação  do TRT de Goiás. Também integra o CGTIC-JT o assessor chefe de Tecnologia da Informação e das Comunicações do CSJT, Cláudio Fontes Feijó e o Secretário de TI do TST, Gustavo Sanches.

O Comitê Gestor de Tecnologia da Informação e das Comunicações atua como instância de coordenação colegiada da estratégia definida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho para a gestão do Portfólio de TIC-JT.

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho instituiu o Modelo de Gestão do Portfólio de Tecnologia da Informação e das Comunicações do CSJT (Portfólio de TIC-JT). Entre as principais inovações está a  implantação das melhores práticas de governança de Tecnologia da Informação como planejamento estratégico, planejamento estratégico de TI e comitê gestor de TI.

O novo modelo enfatiza a necessidade de se trabalhar com base em planejamento estratégico de tecnologia da informação, principalmente  depois da implantação do processo eletrônico  na Justiça do Trabalho. A gestão de portfólio engloba, não somente a gerência de novos projetos, mas também a melhoria contínua da infraestrutura instalada e dos sistemas e serviços já implantados, evitando que se tornem obsoletos e inadequados ao longo do tempo.

Atribuições

O Comitê Gestor tem como atribuições aprovar a proposta do Plano Estratégico de Tecnologia da Informação da Justiça do Trabalho e suas revisões; supervisionar a execução do Plano, inclusive quanto ao seu aspecto orçamentário, avaliando os seus resultados; deliberar sobre propostas, planos de ação e prioridade das iniciativas e investimentos relativos aos projetos, serviços, aplicações e infraestrutura a serem executados, assessorar a presidência do CSJT na deliberação sobre aquisição de bens e contratação de serviços de tecnologia da informação e propor políticas de capacitação em tecnologia da informação para magistrados e servidores da Justiça do Trabalho.

A reunião analisou propostas  e definiu algumas prioridades em relação aos projetos e serviços em tecnologia da informação e propôs políticas de capacitação para magistrados e servidores da Justiça do Trabalho.