Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2011 > 10 > TRT disponibilizou acesso ao gabinete virtual com smartphones e tablets

TRT disponibilizou acesso ao gabinete virtual com smartphones e tablets

Ações do documento

Em sintonia com a revolução dos smartphones e tablets, o Tribunal do Trabalho da Paraíba inova, mais uma vez, disponibilizando aos seus magistrados e oficiais de justiça o acesso ao gabinete virtual por meio destes dispositivos móveis.

Em 2007, o Tribunal do Trabalho da Paraíba inovou lançando o gabinete virtual, um serviço oferecido pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação - Setic, que  possibilita aos magistrados acesso às aplicações e informações utilizadas em suas atividades. O acesso pode ser feito de qualquer computador conectado à Internet de forma segura e eficiente, permitindo, assim, a análise e elaboração de pareceres e instruções de processos, independentemente da localização física do Juiz.

Tecnologia
O gabinete virtual passou por uma atualização tecnológica em 2010 ampliando os benefícios do trabalho aos oficiais de justiça. Entretanto, sua utilização continuava limitada a computadores, notebooks e netbooks com o sistema operacional Windows/Linux. Agora pode ser acessado também de smartphones e tablets.

Segundo o analista judiciário Rodrigo Mafra, chefe do Setor de Segurança, da Informação e responsável pela gerência do gabinete virtual, após a revolução da Internet, a sociedade vive atualmente a transformação da mobilidade, iniciada com os smartphones, e que vêm ganhando impulso com os tablets, os quais surgiram há cerca de um ano. “O TRT/PB, sempre pioneiro, não poderia ficar à margem desta mudança. Com o novo serviço, magistrados e oficiais de justiça podem utilizar no trabalho remoto seus dispositivos móveis, como iPad, iPhone, Blackberry, Galaxy e outros com o sistema operacional Android ou Windows Mobile”, revela o servidor.

Max Guedes, diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação, espera que, com o novo serviço, os magistrados e oficiais de justiça ganhem ainda mais agilidade e mobilidade no desempenho de suas atividades, contribuindo para a celeridade da Justiça do Trabalho, beneficiando assim seus jurisdicionados.