Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2013 > 05 > TRT reuniu empresários da construção civil para discutir prevenção de acidentes

TRT reuniu empresários da construção civil para discutir prevenção de acidentes

Engenheiro Jófilo Moreira fez palestra e apresentou números de acidentes no mundo

Ações do documento

Tendo como foco principal a classe empresarial, o Tribunal do Trabalho da Paraíba realizou, nesta quinta 2, um encontro para mostrar a importância da prevenção de acidentes na indústria da construção civil. O evento aconteceu no auditório do Pleno e faz parte do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho do Tribunal Superior do Trabalho, sob a gestão regional dos juízes José Artur da Silva Torres e José Guilherme Marques Júnior.

A abertura foi feita pelo desembargador Vicente Vanderlei, no exercício da presidência. “A prevenção aos acidentes é uma preocupação nossa”, disse, agradecendo a presença dos empresários. Para o desembargador, “a prevenção é absolutamente indispensável e mais barata, sob todos os aspectos, do que as consequências do evento danoso do acidentado”.

O juiz José Artur da Silva Torres, que é gestor regional do Programa Trabalho Seguro, lembrou que a realização do encontro foi uma ideia compartilhada com o presidente do Tribunal, desembargador Carlos Coelho. O magistrado apresentou o engenheiro Jófilo Moreira Lima Júnior, que é engenheiro de Segurança do Trabalho e palestrante do evento.

 

Números

Na palestra, o engenheiro Jófilo Moreira apresentou os aspectos relacionados aos acidentes do trabalho e às doenças ocupacionais, buscando melhorar o panorama atual da construção civil na Paraíba. Na palestra, que teve como tema “Prevenção de Acidentes na Indústria da Construção”, o engenheiro fez uma síntese da evolução histórica dos acidentes de trabalho e mostrou alguns números.

Afirmou que segurança começa na prancheta e destacou que o cenário brasileiro atual mostra a expansão econômica e a globalização dos mercados. Citou o programa habitacional da Caixa Econômica Federal “Minha casa, minha vida” e o “Rio 2016”, que envolvem grandes obras no país e geram maior possibilidade de acidentes e incidência de doenças ocupacionais, caso não haja prevenção com a difusão de informações sobre saúde e segurança no trabalho.

Jófilo Moreira apresentou números da Organização Internacional do Trabalho – OIT que revelam que a cada 15 segundos um trabalhador morre no mundo vítima de acidente ou doença relacionada ao trabalho. Por ano são mais de 2 milhões e atualmente 160 milhões de pessoas sofrem, no mundo, de alguma doença letal relacionada ao trabalho. “A construção civil mata mais do que qualquer outra profissão e as maiores causas dos acidentes são quedas, choques elétricos e soterramento. Já as doenças mais ocasionadas são relativas a coluna vertebral, pele, auditivas e respiratórias”.

“Para prevenir é necessário evitar os riscos, avaliar o que não pode ser evitado e combater os riscos na sua origem”, disse o palestrante, lembrando que substituir o que é perigoso pelo que é isento de perigo ou menos perigoso é também uma forma de prevenção.

 

Painel

Após um intervalo, um painel discutiu os “Efeitos e consequências jurídicas e patrimoniais dos acidentes de trabalho para os empresários da construção civil”. O painel foi apresentado pelo juiz José Artur da Silva Torres, gestor Regional do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho; Carlos Alberto Castor de Pontes - Engenheiro de Segurança do Trabalho e Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE – PB, membro do CPR- PB; Paulo Germano Costa de Arruda - Procurador do Trabalho da 13ª Região e Ana Karla Toscano de Brito Carneiro - Procuradora Federal da 5ª Região.