Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2013 > 11 > Semana da Conciliação será aberta no Fórum de João Pessoa

Semana da Conciliação será aberta no Fórum de João Pessoa

Audiências serão realizadas no Nucon e nas Varas do Trabalho

Ações do documento

publicado: 27/11/2013 09h50 última modificação: 30/09/2016 10h11

O presidente do Tribunal do Trabalho da Paraíba, desembargador Carlos Coelho, fará a abertura da Semana da Conciliação, que acontece a partir desta segunda-feira, 2, com encerramento na sexta, dia 6. O lançamento do Cordel da Conciliação, de autoria do poeta Manoel Monteiro e a apresentação do Coral 13ª Em Canto, regido pelo maestro Carlinhos Telles vão marcar a abertura dos trabalhos no hall do Fórum Maximiano Figueiredo, em João Pessoa.

A solenidade está sendo organizada pela juízes do Núcleo de Conciliação (Nucon), Nayara Queiroz Mota de Sousa, coordenadora e Carlos Hindemburg de Figueiredo, auxiliar. Durante toda a semana o Núcleo estará aberto, das 7h às 17h, para receber partes interessada em conciliar em qualquer fase que o processo esteja. “Mesmo que o interesse por um acordo seja de uma parte, basta trazer o contato com a outra parte que o Nucon faz o contato”, disse a juíza Nayara Mota.

Um ato da Presidência do TRT estabeleceu que todas Varas do Trabalho devem priorizar audiências de conciliação para o período de 2 a 6 de dezembro

Para o presidente do TRT, desembargador Carlos Coelho, a conciliação é um meio efetivo de pacificação social, solução e prevenção de litígios. “É fundamental apoiar e difundir as iniciativas adotadas pelos órgãos do Poder Judiciário, já que a conciliação judicial se constitui em um dos objetivos da Justiça do Trabalho, especialmente, deste Regional”, observou o magistrado.

 

A poesia da Conciliação

O Cordel da Conciliação vai expressar, em forma de poesia, os benefícios do acordo trabalhista. O poeta Manoel Monteiro nasceu em 1937 em Pernambuco e logo nos primeiros anos teve aproximação com os folheteiros, coquistas e violeiros. Como não tinha aptidão para o improviso começou escrever versos. Vendeu folhetos de feira em feira, deixou Pernambuco e aportou em Campina Grande, onde vendeu versos de terceiros, até publicar seu primeiro cordel em 1953 na gráfica do poeta Manoel Camilo dos Santos, autor do clássico Viagem a São Saruê.

O poeta faz parte da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, que tem sede no Rio de Janeiro, onde foi eleito 'o cordelista do ano', em 2010. Também integra o corpo do Instituto Histórico e Geográfico do Cariri Paraibano.

 

Versos do entendimento

O Cordel da Conciliação traz várias poesias exaltando a virtude de se resolver os conflitos pela via da conciliação. Abaixo um trecho:

 

Conciliar os conflitos

Facilita a convivência

Não enferruja o humor

Nem desgasta a paciência,

Melhor questão resolvida

Do que consumir a vida

Esperando providência