Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2014 > 10 > Definidos os indicadores e metas para o TRT pelos próximos seis anos

Definidos os indicadores e metas para o TRT pelos próximos seis anos

Documento será enviado para aprovação pelo Tribunal Pleno

Ações do documento

 

Até o próximo dia 10 de novembro a Assessoria de Gestão Estratégica (AGE) vai enviar o novo Planejamento Estratégico Institucional (PEI) para a apreciação e aprovação pelos desembargadores do Tribunal do Trabalho da Paraíba da 13ª Região. Após a aprovação, o planejamento será transformado em Resolução Administrativa e, a partir de janeiro de 2015, começará a ser executado pela instituição, com metas definidas até o ano de 2020.

O PEI foi elaborado na semana passada durante três dias no IV Fórum de Gestão Estratégica, que reuniu cerca de 80 pessoas entre desembargadores, juízes, servidores, representantes de órgãos públicos e de entidades de classe, no SESC Cabo Branco, em João Pessoa.

O trabalho começou na quarta-feira com os pronunciamentos do presidente e do vice do Regional paraibano, desembargadores Carlos Coelho e Ubiratan Delgado e com a palestra “A experiência do Planejamento Estratégico nas ações administrativas e judiciárias no TRT do Mato Grosso (23ª Região)”, proferida pelo desembargador João Carlos Ribeiro de Sousa, ex-presidente daquele Regional.

Ainda na quarta-feira tiveram início as oficinas, com a distribuição dos participantes em grupos. A primeira oficina tratou da “Revisão da identidade institucional do TRT 13 e a consolidação da Missão, Visão e Valores Institucionais”.

 

Trabalho e arte

Na quinta-feira (23), a segunda oficina teve como tema de trabalho a “Definição dos objetivos estratégicos do TRT 13”. À tarde, a oficina abordou “A construção do mapa estratégico do TRT”. Durante todo o dia, o artista plástico Pedro Nogueira esteve no Fórum, pintando um quadro que traduz o trabalho em equipe. Este quadro ficará exposto nas Varas do Trabalho do Estado e sede do TRT por um período, e depois será encaminhado ao Memorial da Justiça do Trabalho na Paraíba.

 

Oficinas e performance

Na sexta-feira, último dia do IV Fórum de Gestão Estratégica, a quarta oficina trabalhou na “Definição dos indicadores e metas” e, em seguida, na “Consolidação dos indicadores e metas”. À tarde a tarefa foi a “Definição das iniciativas”, e, finalmente, a “Consolidação das iniciativas”.

Pela manhã, ao retornar ao trabalho após o intervalo, os servidores se depararam com uma ‘estátua viva’ representando a Justiça. O servidor do TRT e diretor administrativo, Gonçalo Júnior fez uma intervenção destacando a importância do foco nas ações delineadas pelo Planejamento Estratégico. “Embora o Planejamento Estratégico possa ser percebido como uma ferramenta com a leitura de cobrança, tornou-se imprescindível nas instituições públicas. A inércia provocada pela falta de metas leva-nos a uma zona de conforto que desinteressa aos modernos métodos de melhoria de procedimentos na satisfação do público usuário”, finalizou.

 

O trabalho e as equipes

Todo o trabalho do IV Fórum de Gestão Estratégica foi planejado, elaborado e executado pela equipe da Assessoria de Gestão Estratégica, que tem como diretor o servidor Max Frederico Guedes Pereira. Como mediadores atuaram o diretor-geral do TRT de Mato Grosso, José Barbosa e os Assessores de Gestão Estratégica dos TRTs do Pará (8ª Região), Rodopiano Neto e do Paraná (9ª Região), Francisco de Assis da Luz Ribeiro.

 

Parcerias

O IV Fórum de Gestão Estratégica teve como parceiros a Federação do Comércio da Paraíba, a Cooperativa de Crédito dos Servidores da Justiça do Trabalho (Credjust), Banco do Brasil, Caixa, Associação dos Magistrados do Trabalho da 13ª Região (Amatra 13) e Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho da 13ª Região (Astra 13).