Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2014 > 11 > Escola Judicial do TRT encerra seminário sobre acidente de trabalho em Campina

Escola Judicial do TRT encerra seminário sobre acidente de trabalho em Campina

Evento teve a marca da interação dos palestrantes com os participantes

Ações do documento

Um evento com um tema atual e palpitante, e que trouxe conhecimento e novas ideias para os participantes. Esse é um retrato da II Semana do Judiciário de Campina Grande (Semajud), evento promovido pelo Tribunal do Trabalho da 13ª Região (Paraíba) e realizado pela Escola Judicial (EJud), no Fórum Irineu Joffily. Além disso, a Semajud teve a característica da participação, da interação entre plateia e palestrantes.

A II Semana do Judiciário começou na quinta-feira, 20 e foi encerrada nesta sexta-feira (21). Segundo a coordenadora do evento, juíza Herminegilda Machado, “o trabalho faz parte da existência humana, integra as nossas vidas. A evolução humana não teria chegado ao estágio atual se não fosse o trabalho. O trabalho não se restringe apenas a uma atividade econômica, o seu conceito é amplo, mas aqui não interessa o conceito filosófico do trabalho e sim, as consequências de uma das suas faces. E quando assim falo é porque o trabalho tem duas faces antagônicas: nele podemos nos realizar, crescer enquanto pessoa, enquanto sociedade; mas nele também podemos adoecer e morrer, tanto física, como emocionalmente”, concluiu, acrescentando que o evento procurou contribuir com a formação intelectual dos futuros operadores do Direito e, nos trabalhadores, despertar uma consciência com relação a um ambiente de trabalho mais saudável e seguro.

 

Palestras de encerramento

No último dia do evento, a professora da UFRN e psicóloga Camila Costa Torres falou sobre “Ergonomia e doenças decorrentes de esforços repetitivos. O segundo tema foi abordado pelo engenheiro civil especialista em engenharia de segurança do trabalho, Béda Barkokébas. Falou sobre “Aspectos da Segurança no trabalho”.

O último palestrante foi Clóvis da Silveira Costa, médico auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego. Abordou na palestra “Risco dos trabalhadores nos abatedouros”.

 

Planejamento Estratégico

A Semana do Judiciário integra o Planejamento Estratégico Institucional do TRT, consistente na meta 5, que é “intensificar os programas de segurança no trabalho e disseminar a cultura de responsabilidade social e ambiental”. Integra, ainda, a agenda do Trabalho Seguro do Tribunal, cujo protocolo foi assinado na última sexta-feira, 14, com a criação do Grupo de Trabalho Interinstitucional (Getrin). O programa Trabalho Seguro na Paraíba tem como gestores os juízes Arthur Torres e André Machado.

São parceiros na realização da Semajud, a Associação dos Magistrados do Trabalho da 13ª Região (Amatra 13), Associação dos Servidores do Trabalho da 13ª Região (Astra 13), Caixa e Escola Superior a Magistratura (Esmat 13).

 

Depoimentos:

 

Lindinaldo Marinho – juiz do trabalho

“Os temas que foram abordados na II Semana do Judiciário de Campina Grande, foram de grande importância para a atuação profissional dos magistrados. Foram apresentadas palestras brilhantes, que trouxeram profundas reflexões sobre os aspectos relacionados com a saúde do trabalhador, com os acidentes de trabalho e também com as doenças profissionais”.

 

Íris Diógenes – juíza do trabalho – diretora do Fórum do trabalho de Campina Grande

A iniciativa do Tribunal do Trabalho e da Escola Judicial de realizar o evento em Campina Grande, já é louvável. É salutar que os eventos não fiquem apenas na capital. Considero como o diferencial da II Semana do Judiciário, a interação entre os participantes e os palestrantes. Foi uma participação viva, atuante e produtiva de um auditório com estudantes de direito, arquitetura, engenharia, fisioterapia, além advogados e servidores da justiça. Além disso, o evento, que é jurídico, teve o mérito de ter trazido profissionais de áreas como a engenharia e saúde para agregar valores ao tema central, que foi a saúde do trabalhador e a prevenção de acidentes de trabalho”.

 

Fernandes Jr. – participante – Advogado

“O evento trouxe questões doutrinárias e, muito importante, os exemplos do dia a dia, com a visão de profissionais de várias áreas. Tornou-se, então, um evento multidisciplinar, que gerou conhecimento para os operadores do Direito. Percebemos, com toda nitidez, de o quanto é importante para a sociedade e para o estado a prevenção do acidente de trabalho. O TRT está de parabéns pelo evento”.

 

Lillian Costa de Lacerda – participante – Advogada

“O encontro teve um temário fantástico, que possibilitou a interatividade, mostrando o olhar jurídico, o médico e o da advocacia, tudo em torno de uma mesma questão e da mesma abordagem. Foi muito interessante. E foi essa diversidade que gerou debates tão intensos e produtivos com os participantes”.

 

Genésio Nunes Queiroga Neto – participante – Advogado

“Os advogados que militam na Justiça do Trabalho tiveram a oportunidade, ao participar deste evento, de ouvir e debater novas ideias. No nosso cotidiano, muitas vezes ficarmos parados, sem ouvir debates interessantes como os aconteceram aqui. Renovamos nossa visão nos assuntos que lidamos em nosso cotidiano e isso é fundamental. O acidente de trabalho é um tema pulsante na atualidade e o TRT foi muito feliz em trazer profissionais de várias áreas, cada um com uma visão sobre a temática”.

 

Valker Vasconcelos de Lacerda – palestrante – Perito médico legal do estado da Paraíba

“Tivemos aqui um momento de reflexão. O TRT foi muito feliz em montar um evento com um tema extremamente interessante e atual e com a visão de diversas áreas. Quem participou do evento ganhou muito em conhecimento”.

 

Camila Costa Torres – palestrante – psicóloga e professora da UFRN

“Foi uma grande iniciativa do Tribunal do Trabalho da Paraíba e acho que todas as organizações deveriam fazer isso, abordar o acidente do trabalho e o adoecimento, em seminários como esse. O acidente do trabalho acontece desde o início da humanidade, mas ainda recebe pouca atenção. Vendo essas iniciativas, percebemos o quanto são importantes e necessárias, principalmente com a articulação dos diferentes saberes que se relacionam com esse fenômeno. Não podemos ter um ponto de vista único, um pensamento complementa o outro. Foi uma iniciativa louvável e fiquei muito feliz em participar e dar uma pequena contribuição”.

 

Béda Barkokébas – palestrante – engenheiro civil especialista em engenharia de segurança do trabalho

“Esse tema é sempre bem vindo, porque poucas pessoas tem, realmente, conhecimento da complexidade, que é um acidente de trabalho. Muita gente ainda pensa que um acidente é uma coisa natural. Mostramos que o acidente ocorre porque nós fazemos ele acontecer. Hoje temos todas as condições técnicas de evitar acidentes de trabalho. Então, quando juntamos em um evento os diversos mundos do mesmo problema, como o mundo jurídico, o medico e o da segurança do trabalho, os resultados são extraordinários. O mundo hoje é multidisciplinar e o acidente de trabalho é multicausal e multidisciplinar, daí a importância deste evento”.

 

Maria Betânia Gama dos Santos – participante – Engenheira eletricista e de segurança do trabalho e professora da UFCG

“Destaco a importância deste evento, principalmente nesse momento de mudança de políticas públicas, onde se anuncia o programa nacional Trabalho Seguro. É necessário uma atenção maior às cadeias produtivas locais e a apreciação de seus riscos específicos. Mecanismos como esse são indispensáveis para um avanço da nossa sociedade na prevenção de acidente e de doenças ocupacionais. Me entristece, ainda, estarmos falando de combate a doenças e reparação de danos, onde deveríamos estar privilegiando a prevenção, que infelizmente ainda fica no papel, a exemplo de PPRA e CIPA. Existe um desafio, que é a humanização da produção no mundo capitalista e acredito que a associação dos conhecimentos multidisciplinares e a inclusão de uma dimensão educativa mais eficiente no tocante a segurança, seja uma das saídas. No entanto, idealizo que a SST seja discutida desde a educação infantil e que, pelo menos um dia a cada ano, possa existir a vivência da troca de posto de trabalho entre empregado e empregador. Só assim, poderemos analisar melhor o que disse Martin Luter King: “Nós aprendemos a nadar como peixes, a voar como pássaros, nós só não aprendemos a viver como irmãos”.

 

Andrey Levi Diógenes Magalhães – Palestrante- Advogado e Mestrando em Direito Internacional pela Universidade Católica de Santos

“Parabenizo a Dra. Herminegilda e ao Dr. Eduardo Sérgio pela excelente condução da Escola Judicial e pelo evento da Semajud. Um marco histórico foi conquistado nesta gestão, a interiorização do conhecimento, trazendo para a Rainha da Borborema um evento já renomado em nossa capital. O tema escolhido para a II Semajud não poderia ser mais relevante para o âmbito jurídico, e a metodologia proposta, onde se debateu sobre acidente de trabalho por palestrantes escolhidos entre as áreas de saúde, exatas e jurídica, certamente favoreceram o interesse do publico”.

 

Saulo Patrício – participante – estudante de Direito

“Esse evento deu grande contribuição para minha vida acadêmica. Na universidade ficamos muito focados na teoria jurídica e aqui tivemos a oportunidade de ouvir profissionais de diversas áreas, que nos ofereceram depoimentos e vivências ricas em relação ao acidente de trabalho. É muito importante ter esse conhecimento antes de chegarmos ao mercado de trabalho”.

 

Célia Maria – participante – estudante de Direito

“Como estamos na universidade, lidamos basicamente com a teoria. Aqui, no evento, tivemos a oportunidade de vivenciar a prática de vários profissionais, ligados ao Direito, Medicina e da própria advocacia. Foi um encontro com palestrantes de altíssimos níveis, que nos repassaram muitas informações importantes. Foi uma experiência rica para nós, estudantes. E, além de tudo, oferecido gratuitamente. Ficamos muito agradecidos ao TRT da Paraíba”.

 

Fábio Lucena – participante – servidor da Justiça do Trabalho

“A Semajud nos trouxe várias reflexões que questionam nossa relação com o trabalho, de modo que passemos a considerar melhor a nossa saúde e a dos colegas”.