Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2016 > 06 > Juíza ministra palestra sobre trabalho infantil em Cabedelo

Juíza ministra palestra sobre trabalho infantil em Cabedelo

Crianças vão usar a hashtag #CabedeloNãoCurteTrabalhoInfantil nas redes sociais no dia 12

Ações do documento

Um compromisso foi firmado pela juíza Mirella D´arc de Melo Cahú Arcoverde de Souza e crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos, que são assistidas pela Secretaria de Ação Social e Inclusão do Município de Cabedelo. Durante apresentação da palestra “Trabalho Infantil: Não curto!”, na última segunda-feira (6), o público se comprometeu em usar a hashtag #CabedeloNãoCurteTrabalhoInfantil no domingo, dia 12, data em que se comemora o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil.

A palestra foi ministrada para duas turmas, sendo a primeira no turno da manhã e a segunda no turno da tarde. A juíza Maria Lílian Leal de Sousa, titular da Vara do Trabalho de Monteiro e representante do Comitê de Combate ao Trabalho Infantil do TRT fez a indicação da juíza Mirella Cahú, que é substituta da 4ª VT de João Pessoa, para ministrar a palestra após convite do secretário de Ação Social e Inclusão do Município de Cabedelo, Euzo da Cunha Chaves e da coordenadora Viviane Menezes.

De acordo com a juíza Mirella Cahú, o objetivo da palestra foi realizar uma reflexão sobre o porquê da proibição do trabalho infantil, as repercussões no desenvolvimento da saúde física e psíquica, mostrando as situações pelas quais as crianças foram exploradas ao longo dos anos no mundo até demonstrar as situações que são observadas nos dias atuais e na comunidade em que vivem.

“Acredito muito na importância do contato direto entre o judiciário e a sociedade, não apenas para solução das ações que são promovidas, mas também como política pedagógica de esclarecimento e formação. O trabalho ainda é mais importante quando pensamos em crianças e adolescentes, que representam o futuro do nosso país. O combate ao trabalho infantil no Brasil deve ser prioridade absoluta para toda sociedade como determina a Constituição Federal. Acredito que o TRT 13 faz isso quando apoia atividades como essa!”, disse a magistrada

Mirella Cahú destacou que após a apresentação do tema os participantes foram presenteados com a Revistinha da Turma da Mônica com o tema do Trabalho Infantil, que foram enviadas pelo TRT.

Frases em atas e documentos

De acordo com a juíza Maria Lílian Leal, durante esta semana e na próxima semana, os Juízes do Trabalho farão constar nas atas de audiência e outros documentos das Varas, frases de combate ao trabalho infantil. Entre as frases escolhidas estão: “Todos juntos contra o Trabalho Infantil”; “Não ao Trabalho Infantil na cadeia produtiva”; “Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil”; "Eu sou contra o Trabalho Infantil” e “Vamos acabar com o Trabalho Infantil”.

O desembargador Leonardo Trajano é gestor do Programa de Combate ao Trabalho Infantil da Justiça do Trabalho na Paraíba junto com a juíza Lílian Leal.