Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2021 > 01 > Segunda Instância do TRT da Paraíba bate a Meta 1 do CNJ

Notícias

Segunda Instância do TRT da Paraíba bate a Meta 1 do CNJ

Regional encerrou 2020 com redução de 5,35% no estoque de processos em tramitação

Ações do documento

publicado: 06/01/2021 12h21 última modificação: 06/01/2021 12h21

A 2ª Instância do Tribunal do Trabalho da Paraíba (13ª Região) encerrou o ano com redução de 5,35% no estoque de processos em tramitação, passando de 3.495 no final de 2019 para 3.308 ao fim de 2020, apesar de ser um ano atípico.

Além disso, a 2ª instância conseguiu bater a Meta 1 do CNJ (julgar mais processos que os distribuídos), obtendo um percentual de 104,39%. Tal índice representa um grande feito, pois, mesmo iniciando 2020 com a segunda menor taxa de congestionamento do país – indicador que mede o estoque relativo do tribunal em relação aos demais tribunais trabalhistas –, a Corte conseguiu reduzir ainda mais o acervo de processos pendentes de julgamento.

Várias ações e projetos contribuíram para que o Tribunal conseguisse reduzir o seu estoque e cumprir as metas do CNJ. Dentre eles, destaca-se o projeto estratégico do Plenário Eletrônico, que propiciou o julgamento virtual e telepresencial dos processos, em resposta à suspensão dos trabalhos presenciais, por conta da pandemia da Covid-19.

Inclusive, na sessão administrativa do Egrégio Tribunal Pleno do dia 17 de dezembro de 2020, o desembargador Presidente Wolney de Macedo Cordeiro, externou voto de aplauso à Secretaria-Geral Judiciária, em face do novo paradigma implementado. Salientou, também, que “tivemos um fato inédito no biênio, pois o sr Marcelo Teixeira Corrêa de Oliveira é o primeiro Secretário-Geral Judiciário da História deste TRT”.
Já o Secretário-Geral agradeceu a deferência e enalteceu a sintonia entre os setores envolvidos. “A chave do sucesso desta Segunda Instância decorre da ação integrada entre a Secretaria-Geral Judiciária, as Turmas, os Gabinetes e o Conselho dos Desembargadores, no monitoramento constante dos dados estatísticos, na definição de estratégias e na execução de planos de ações”, disse Marcelo Teixeira.

Tais iniciativas exitosas inauguraram uma nova forma de atuação, a partir da criação da Secretaria-Geral Judiciária (Segejud), no início do biênio 2019/2020, que passou a atuar proativamente na gestão e acompanhamento periódico do desempenho dos gabinetes e secretarias, propondo mudanças de procedimentos, quando necessário, objetivando a melhoria contínua dos resultados alcançados bem como o atingimento de metas.