Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2021 > 04 > 2021 > 04 > Justiça do Trabalho empossa juízes do trabalho substitutos em cerimônia telepresencial

Notícias

Justiça do Trabalho empossa juízes do trabalho substitutos em cerimônia telepresencial

TRT-13 recebe três novas magistradas por meio de remoção

Ações do documento

publicado: 30/04/2021 16h48 última modificação: 04/05/2021 13h40

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (13ª Região), desembargador Leonardo Trajano, conduziu, na tarde desta sexta-feira (30), a cerimônia de posse das juízas do trabalho substitutas Larissa Leônia Bezerra de Andrade Albuquerque, Karolyne Cabral Maroja Limeira e Mariana Petit Horácio de Brito. O evento ocorreu no formato telepresencial e deu sequência à solenidade nacional, realizada pela Justiça do Trabalho.

A posse das magistradas, que se inscreveram no Procedimento Unificado de Remoção de Juízes do Trabalho Substitutos, contou com a participação do secretário-geral da Presidência, Antônio Fragoso, e do presidente da Amatra 13, Marcelo Carniato, e foi transmitida por meio do canal do TRT-13 no YouTube. Ao abrir a cerimônia, o presidente do Tribunal destacou a importância da posse das juízas para a instituição.

“Vocês são muito bem-vindas ao nosso Regional e fiquem certas de que terão total e integral acolhimento da administração e dos juízes. Desejo que continuem exercendo seus misteres da melhor forma possível. A Justiça do Trabalho está completando 80 anos amanhã e desempenha um papel ainda mais relevante nesse momento de crise sanitária”, enfatizou. Na sequência, a juíza Larissa Albuquerque fez a leitura do termo de compromisso e o secretário-geral da Presidência leu o termo de posse, que foi assinado eletronicamente.

Representando as magistradas recém-empossadas, a juíza Larissa Albuquerque fez um breve discurso de agradecimento. “Nós nos sentimos felizes e honradas por fazer parte dessa casa. Assumimos hoje o compromisso de desempenhar com hombridade nossas funções e a manter o nome do TRT-13 como sinônimo de qualidade, celeridade e eficiência”, afirmou.

Solenidade nacional – Ao todo, a Justiça do Trabalho deu posse a 166 juízas e juízes do trabalho em todo o país, sendo 60 aprovados no 1º Concurso Público Unificado para ingresso na carreira da Magistratura do Trabalho e, os demais (106), os magistrados inscritos no Procedimento Unificado de Remoção. A presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, ministra Maria Cristina Peduzzi, deu as boas-vindas aos convocados em solenidade telepresencial que antecedeu as realizadas em cada regional.

Na ocasião, a ministra lembrou o falecimento do ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Walmir Oliveira, ocorrido na última quarta-feira (28) em decorrência de complicações da Covid-19. “Foi um ministro querido e saudoso, que, além do brilhantismo, inteligência e capacidade técnica e didática, deixou relevante contribuição enquanto membro do CSJT. Destaco o Pedido de Providências nº 17.501, que resultou na Resolução nº 137 de 2014, que estabeleceu critérios objetivos para o pagamento de passivos na administração da Justiça do Trabalho”, recordou.

A ministra Peduzzi afirmou, em seu discurso, que as nomeações desta sexta (30) finalizam o processo do certame nacional unificado, depois de uma série de obstáculos enfrentados. “Precisamos, ao longo deste caminho, construir consensos. Agora, mais de 100 magistrados se deslocam para prestar jurisdição onde gostariam de estar, perto de suas famílias. Tenho a plena convicção da importância do que isso significa para cada um dos removidos. Aos que assumem a toga, não tenho dúvida dos esforços e sacrifícios feitos. Faço um apelo para que todos prestem sempre o melhor serviço possível ao jurisdicionado que bate à sua porta”, salientou.

As magistradas – A juíza Larissa Leônia Bezerra de Andrade Albuquerque foi removida, a pedido, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (Distrito Federal). Paraibana de João Pessoa, a magistrada vai ocupar a vaga decorrente da promoção da juíza Ana Paula Cabral Campos.

Já a magistrada Karolyne Cabral Maroja Limeira é egressa do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (Rio Grande do Norte). Também nascida em João Pessoa, atualmente morando em Natal, ela pediu remoção para o estado de origem e vai ocupar a vaga decorrente da promoção do juiz Adriano Mesquita Dantas.

Por sua vez, a juíza Mariana Petit Horácio de Brito é natural de Campina Grande e está na magistratura desde 2013. Foi removida, a pedido, do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (Sergipe) para o TRT-13, em vaga decorrente da promoção do juiz David Sérvio Coqueiro dos Santos.

 

Celina Modesto

Assessoria de Comunicação Social TRT-13