Você está aqui: Página Inicial > Composição > Corregedoria Regional > Atos SCR > 2015 > Ato TRT SCR nº 004/2015

Ato TRT SCR nº 004/2015

Ações do documento

última modificação 25/05/2017 12h20
Suspenso

Suspenso os efeitos por meio do Ato TRT SCR nº 002/2016.

 

CORREGEDORIA REGIONAL



ATO TRT SCR Nº 004/2015


João Pessoa, 03 de julho de 2015


O DESEMBARGADOR PRESIDENTE E CORREGEDOR DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,


CONSIDERANDO o requerimento formulado pelo Hospital Santa Paula Ltda., protocolizado nesta Corte sob o número 000-011511/2015, onde postula solução conciliada de todos os litígios em tramitação nesta Justiça Especializada;


CONSIDERANDO que as partes podem transacionar em qualquer fase do processo;


CONSIDERANDO a regra disposta no § 1º do art. 764 da CLT, que estabelece que "os Tribunais Regionais do Trabalho empregarão sempre os seus bons ofícios e persuasão no sentido de uma solução conciliatória do conflito";


CONSIDERANDO, por fim, a Resolução nº 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça, que instituiu a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesse.


RESOLVE


Art. 1º - Determinar a concentração, no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos – NUCON, de todas as demandas trabalhistas que estão tramitando contra o Hospital Santa Paula Ltda., neste Regional, à exceção daquelas que se encontram aguardando cumprimento de conciliação já homologada, visando a celebração de acordo para quitação dos respectivos débitos.


Art. 2º - Determinar que as Unidades Judiciárias nas quais tramitam os processos em referência procedam à remessa destes ao NUCON, para os fins mencionados no artigo 1º.


Art. 3º - O Juiz do Trabalho condutor das conciliações atente para o fato de manter as penhoras já efetivadas até a quitação dos respectivos processos.


Art. 4º - Este Ato entra em vigor na data de sua publicação.


Cumpra-se.

Publique-se no DEJT.

 

 

UBIRATAN MOREIRA DELGADO

Desembargador Presidente e Corregedor